POLÉMICA OU PULGA NA ALMA?

Previous Next
A ECV, EPE sabe que é mais fácil falar do que fazer e que a maioria das pessoas prefere julgar porque pensar é sempre difícil;

O troço de estrada Bangaeira/Fernão Gomes/Monte Velha/Casa Piorno, com 8 kms de extensão, enquadra-se no conjunto de novas estradas e acessibilidades financiadas pelo Governo de Cabo Verde, com o objetivo de:
  1. desencravar localidades com interesse agrícola, turístico, económico e outros;
  2. desenvolver economia local, com consequência na melhoria da qualidade de vida das populações;
  3. no caso da estrada em questão, permitiu a continuação do troço desde Cova Tina até Bangaeira (já executado) e possibilitará a ligação a Campanas de Cima (em execução), contribuindo para evacuação de pessoas e bens, em segurança, em caso de eventual erupção vulcânica;
  4. Não obstante ser ER (estrada rural), pelas suas caraterísticas, representa uma verdadeira obra de engenharia e, segundo a própria Empreiteira, é das estradas mais difíceis que se construíram em Cabo Verde, devido às soluções técnicas incorporadas;
  1. Perfil Transversal Tipo – faixa de rodagem com 4.5m com bermas de 0.5m, valetas triangulares com 0.80m de largura em toda a extensão, garantindo drenagem superficial e travamento em betão do revestimento (calçadas);
  2. Perfil Longitudinal – A rasante possui inclinação máxima de 20% e mínima de 0.7%, bastante para assegurar o escoamento de águas pluviais;
  3. Traçado em planta com 64 curvas com raio máximo 230 e mínimo 15 e 65 alinhamentos retos. O traçado foi corrigido de modo a suavizar a transição do alinhamento reto para a curva circular garantindo maior conforto aos condutores. Interessa referir que na Engenharia, as curvas são calculadas (não da forma como se aprende na instrução primária, com régua, esquadro e transferidor);
  4. Drenagem – foram executadas 34 passagens hidráulicas (PHs) de secções circulares em manilhas de betão com 1.00m de diâmetro e de secções retangulares em alvenaria hidráulica cobertas com lajes em betão armado;
  5. Sinalização - Adotou-se a sinalização vertical, através de diversos tipos de sinais e concretizou-se a colocação de placas de sinalização de perigo; e, como medida adicional, implementou-se pilaretes sinalizadores que, para além de servirem de guardas de proteção, delimitam o desenvolvimento da estrada, em situações de deficiente visibilidade devido aos nevoeiros caraterísticos dos microclimas;
 
As informações constantes do artigo “Polémica com via Bangaeira a Piorno no Fogo: Troço de estrada ou «troça de estrada»?” publicadas no A Semana Online, do dia 23 de julho, devem ser corrigidas:
  • a imagem não ilustra nenhuma secção da estrada construída, tal é a vontade em desinformar;
  • a camada desgaste está revestida com calçada portuguesa e não é empedramento;
  • não faltam 25kms mas a extensão total é 25kms;
Na engenharia, os projetos têm de ser factíveis dentro das restrições de custo, evitando mergulhos suicidas;
 
O troço Bangaeira/C. Piorno representa uma solução com custo controlado e imbatível (130 mil contos) e não é comparável com o troço de acesso a Chã das Caldeiras (mais de 800 mil contos); isso porque já não vivemos os tempos de euforia delirante em que se esbanja recursos a rodo, sem a preocupação de otimizar custos.
 
Há pessoas que não se coíbem de meter foice em seara alheia; e, essas pessoas, cujo mérito consiste em dizer tolices úteis, estragariam tudo se mudassem de atitude (…)
 
 
Conselho de Administração de Estradas de Cabo Verde, EPE